top of page
Buscar
  • Foto do escritorRodrigo Lamonier

Tenho obesidade, mas sou saudável. Será?

Atualizado: 10 de jul. de 2023



Muitos pacientes portadores de obesidade se considerarem totalmente saudáveis e não se preocupam em iniciar o tratamento da doença pelo fato de apresentarem parâmetros metabólicos como: uma pressão arterial adequada, glicemia de jejum dentro do limite de normalidade, perfil lipídico na faixa e ausência de sintomas em geral. Mas, mesmo com tudo isso dentro da normalidade, você sabia que esses parâmetros NÃO significam que você está totalmente saudável e que não precise de acompanhamento interdisciplinar?


É muito comum que em alguns pacientes todos os parâmetros se mantenham normais, porém, às custas de "esforços" extras do organismo. Às vezes um pâncreas hiperfuncionante para manutenção da glicemia; uma ausência de dores articulares, mas com início de desgastes precoces devido a sobrecarga; um perfil lipídico ("colesterol") dentro da faixa de normalidade, mas com um colesterol "ruim - LDL" com um perfil mais aterogênico (maior possibilidade de causar doenças vasculares mesmo com níveis normais); dentre outras possibilidades.


Vários trabalhos demonstram que a obesidade por si só já aumenta o risco de diversas outras doenças crônicas não transmissíveis e, inclusive, o de mortalidade por causas diversas. Sendo assim, é importante que você, portador de obesidade, busque o acompanhamento profissional para iniciar o tratamento de forma interdisciplinar. E por se tratar de um quadro com causas multifatoriais, você precisa buscar melhorar todo o seu estilo de vida e comportamento alimentar.


E isso significa se movimentar mais, reduzir o consumo de alimentos industrializados/ultraprocessados se for uma realidade, controlar seu estresse e ansiedade com psicoterapia, melhorar a qualidade do seu sono com uma boa higiene do sono diariamente, fazer o uso dos medicamentos prescritos pelo seu médico (se houver indicação/prescrição), trabalhar a reeducação alimentar com um nutricionista, dentre outros fatores).


E isso não significa que você precisará ficar "magro", já que a obesidade muitas vezes é bem difícil de se controlar, mas sim iniciar um acompanhamento e estratégias para minimizar os riscos bem conhecidos da doença em médio e longo prazo.


Caso precise de algum auxílio, agende um horário.

2 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page