top of page
Buscar
  • Foto do escritorRodrigo Lamonier

Remédio para emagrecer faz mal?

Atualizado: 10 de jul. de 2023


Para racionalizar um pouco, é incrível como os medicamentos para tratamento da obesidade são vistos de forma errada pela população, tanto entre portadores de obesidade, quanto para pessoas com "peso adequado". Inúmeros mitos cercam esses medicamentos e, diferente de outras medicações para outros quadros, eles são vistos como vilões.


Para exemplificar melhor, caso alguém possua hipertensão arterial ("pressão alta") controlada com o uso de uma medicação como a losartana, o ato de suspender a medicação por conta própria e o consequente aumento da pressão arterial, a culpa seria do paciente que suspendeu erroneamente a medicação sem a orientação médica.


Outro exemplo, um paciente portador de diabetes tipo II em uso de hipoglicemiantes orais, que por conta própria suspende a medicação e começa a ter uma glicemia alterada, da mesma forma, a culpa seria do paciente que não ouviu o seu médico e parou a medicação.


Mas agora, olha a incongruência dessa situação corriqueira e que você já deve ter presenciado ou ouvido ou até mesmo passado por isso: se um paciente portador de obesidade suspende uma medicação por conta própria, sem o conhecimento do médico e reganha todo o peso perdido, automaticamente ele começa a culpabilizar a medicação que causou um "efeito rebote" e não a sua responsabilidade em ter cessado o fármaco. Raramente vemos o paciente reconhecendo que o erro foi dele em ter suspendido o medicamento sem as devidas orientações.


Mas porque isso acontece?


É porque as pessoas não sabem ou ainda não reconhecem a obesidade como uma doença crônica recidivante. Ou seja, as vezes, para conseguir emagrecer ou então manter o controle do peso perdido, o indivíduo precisará manter os medicamentos para obesidade de forma contínua e para sempre (assim como no diabetes e na hipertensão). E se suspenderem os fármacos sem as devidas orientações e não mudarem seus hábitos e estilo de vida, é provável que o peso volte ao seu número máximo anterior e, as vezes, até um pouco mais.


Sendo assim, não tenha medo das medicações prescritas pelo seu médico para tratamento da obesidade! Não veja o medicamento para obesidade como um facilitador ou tenha preconceitos dos resultados obtidos através do uso da medicação! De qualquer forma, sua evolução com ou sem medicação é mérito total seu, que reconheceu a necessidade e procurou auxílio.


Saiba que esse quadro, assim como vários outros, merece atenção e a medicação se faz essencial por longos períodos para que você alcance resultados satisfatórios.

3 visualizações0 comentário

Commentaires


bottom of page